Leucopenia: tratamento e Terapia Marinha


A definição de Leucopenia é o resultado de uma contagem de leucócitos no sangue inferior a 4000/mm3, segundo a OMS.


As causas da leucopenia são múltiplas, desde processos neoplásicos, infeciosos, inflamatórios, autoimunes, desnutrição, medicamentosas, alterações psicossomáticas.


Além disso, as causas podem ser centrais ou periféricas, e por isso, o tratamento da leucopenia orientar-se-á na causa subjacente.


Muitas das leucopenias, são produto de processos virais, já que estes são os que mais infeções produzem em humanos, por depressão tóxica da medula. Outra causa da toxicidade é a induzida por fármacos, sendo outra das causas importantes da leucopenia iatrogénica.


Podemos deparar-nos também com situações nas quais aparecem a depressão medular secundária, a desnutrição, processos neoplásicos, por agentes físicos ou químicos, etc, sendo outra causa comum de leucopenia.


Mas é possível que certas predisposições possam favorecer as infeções ou alterações da respostas defensiva, por condicionar o sistema imunitário, sendo determinantes na origem do primeiro, ou seja, os fatores que podem favorecer as causas que darão lugar à leucopenia.

Por isso, um tratamento para a leucopenia é evitar na medida dos possíveis a aparição das causas, sendo atualmente um campo importante de investigação os supra-circuitos orgânicos, nos quais se tem descoberto grande quantidade de inter-relações que existem em todo o organismo, como é no caso da psiconeuroimunologia.


Os efeitos da Nutrição no Sistema Imunitário


Está mais que documentada a necessidade de uma boa nutrição para um correto funcionamento do sistema imunitário, tanto os macro como os micronutrientes, já que estão implicados não apenas no mecanismo de resposta frente ao estranho, como também com o reconhecimento do próprio e na modulação da resposta, pois esta, uma vez alcançado o objetivo deve cessar.


Além de intervir de conjunto com o SNC e endócrino, na regulação de todo o sistema vital, sendo crucial na homeostasia.

Como mencionado não são apenas os macronutrientes os fundamentais numa correta função imunitária mas também as vitaminas, os minerais, os oligoelementos são vitais para a boa coordenação e eficaz atividade do sistema imunitário.


A vitamina A, E, D, C e o complexo B, ácido pantoténico… os micronutrientes como o ferro, magnésio, selénio, zinco, manganês, cobalto, cobre… são elementos fundamentais e necessários para a correta função enzimática e assim originando um correto e eficaz desempenho da atividade imunológica.

Existe muita investigação a esse respeito, onde se faz ênfase na qualidade da nutrição humana mais do que na quantidade, porque mais da necessidade de energia e estrutura, os organismos necessitam empregar essa energia no desenvolvimento das estruturas por meio de processos enzimáticos e estes requerem o elemento chave que são os encarregues da correta função enzimática, as coenzimas e os cofactores.


Importante também no correto desenvolvimento das estruturas, devem integrar-se os metais que são fundamentais para uma correta estruturação.

Por tudo isto, deve dar-se à correta micronutrição toda a importância que esta merce.


A Leucopenia e os estados de equilíbrio global


Mas ainda temos mais, e mencionarei um estudo de campo onde se avaliaram estados de ansiedade e depressão associados a leucopenia, em que se concluía neste pequeno estudo que existia uma descida nos leucócitos no grupo de paciente que padeciam de ansiedade relativamente aos que não padeciam, de forma estatisticamente significativa.

“Este é mais um elemento da poção, para o alquimista, que deve entender como se integra num sistema vivo-complexo, as chances da existência com as consequências que delas derivam. Esta realidade a que pertencemos é a integração do conjunto de variáveis, criando uma realidade presente e inexorável, criando o individuo. Estar sujeito a uma imbricada rede de interconexões, que de forma complexa constrói uma melodia com infinitos harmónicos, que é a vida.”

A psiconeuroimunologia pretende desvendar a porção, o peso específico de cada um dos elementos que formam parte da equação, já que o que está claro é que têm um papel importante.


Tratamento da leucopenia


A origem da leucopenia pode ser múltipla, e como se disse, tem de ser tratada especificamente no caso de se associar a alguma doença em concreto, o tratamento da leucopenia terá de ser específico para a doença, e se for necessário, também um tratamento para estimular a medula. Mas, como vimos, em muitas situações podemos encontrar baixos níveis de leucócitos sem uma causa aparente e nunca é demais ter um sistema imunitário alerta e capaz, dotado dos elementos necessários que proporcionem o correto funcionamento.


Boa alimentação, tanto física como emocional e mental, favorecerá o nosso meio interno a encontrar os elementos necessários para o nosso sistema imunitário atuar de forma mais eficaz, de maneira a que a homeostasia imune se encontre em condições apropriadas.


A Terapia Marinha e o Sistema Imunitário


Já René Quinton com o relatório de uma série de casos, mostrou empiricamente os efeitos da Terapia Marinha nas doenças inflamatórias e infeciosas, aumentando a possibilidade de que emprego da Terapia Marinha deveria ter algum efeito sobre o Sistema Imunitário. Mostrando também a viabilidade dos leucócitos numa placa de Petri, deixando boquiabertos quem os viu com os seus próprios olhos.


Atualmente existem evidências experimentais que demonstram as propriedades da água do mar na ativação do sistema imunitário, e como a adição de água do mar isotónica numa placa com leucócitos com meio, produz de forma espontânea agregados celulares.

Estes estudos, levados a cabo pelo Dr. Sempere, mostram, juntamente com muitos outros, os benefícios da água do mar na modulação do Sistema Imunitário.

Não esqueçamos que o caldo primordial uma dessas constantes aleatórias, é a água do mar e pelas leis da constância de René Quinton, a contribuição deste meio para o ambiente interno celular, faz com que este se revitalize aumentando a sua atividade e poder motor. Esta foi uma teoria á priori, mas com o passar dos anos a única coisa que acontece é confirma-se



Tradução autorizada do artigo original elaborado pela Fundação René Quinton

Quinton
Porque Funciona a Terapia Marinha?

Tópicos do Blog

Segue-nos!

  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram

Junte-se ao nosso canal no Telegram!

telegram delterre icon.png

Deseja conhecer mais sobre a Terapia Marinha de René Quinton?

Ebook_Propriedades_e_Benefícios_da_Terap

Faça o Download Grátis do ebook 'Propriedades e Benefícios da Terapia Marinha'!

Deseja receber amostras grátis de Plasma de Quinton?

*Envie-nos uma mensagem!

*reservado a profissionais de saúde

É Profissional de Saúde?

 

*

Gostaria de participar de formações profissionais da aplicação da Terapia Marinha em prática clínica?

 

*

Inscreva-se e será contactado assim que as formações iniciarem!