Harpagofito ou Unha do Diabo – quais as suas Propriedades?

Neste artigo apresentamos uma Planta Medicinal com múltiplas propriedades: a Harpagofito.


Para que serve, quais as suas propriedades e benefícios? Tudo neste artigo elaborado especialmente para si.



Características da Planta Medicinal Harpagofito

A Harpagofito (Harpagophytum procubens) é uma Planta Medicinal conhecida como unha do diabo, muito utilizada de forma tradicional em certas regiões de África.


Introduziu-se na Europa desde África no séc. XX.


É um arbusto quase rasteiro, perene, que cresce de forma espontânea no deserto do Kalahari e Namibia. De forma tradicional, em África, empregam-se as suas raízes com fins medicinais, tanto em patologias gastrointestinais como osteoarticulares, sendo de utilização muito comum.

Composição da Harpagofito


Podem encontrar-se cerca de meia centena de compostos ativos na planta Harpagofito. De entre eles, destaca-se o harpagósido como principio ativo por excelência. Além disso, esta planta contém:

  • Flavonoides

  • Fitoesterois

  • Fenois

  • Óleos Essenciais


As Propriedades da Harpagofito


Depois da sua descoberta, são numerosos os estudos nos quais se demonstrou (in vivo e in vitro) os seus efeitos em patologias como artrite, artrose, dores musculares… Por isso, se nos perguntarmos para que serve Harpagofito, há que destacar os seus efeitos benéficos em patologias associadas à dor, tanto subagudas como crónicas.


No caso de dores agudas são algo menos eficazes.


Na continuação, destacamos as principais utilizações da Harpagofito:

  • Vários ensaios clínicos demonstraram que o emprego de Harpagofito é eficaz em doenças articulares, sendo um dos seus mecanismos a redução da expressão da COX-2.

  • Reduz os níveis de colesterol, um fator de risco cardiovascular (FRCV). De forma que pode ser benéfico à nossa circulação, já que o colesterol juntamente com outros fatores de risco favorece a formação de placas de ateroma (ateromatose).

  • Tem sido utilizado de forma tradicional em patologias do tubo digestivo, sobretudo nos quadros de gastroenterite. Foi comprovado em modelos ex vivo, os efeitos anti-inflamatórios da Harpagofito na Doença Inflamatória Intestinal (DII), por meio da modulação da inflamação, stress oxidativo e resposta imunitária.


  • É útil no tratamento de doenças reumáticas. Diferentes compostos isolados demonstram as suas propriedades anti-inflamatórias regenerativas, analgésicas e imunoestimulantes.


Osteoartrite e Harpagofito


Atualmente os fármacos que se empregam no tratamento da osteoartrite são os AINEs, com o fim de reduzir a dor e inflamação. O inconveniente dos AINEs são os efeitos adversos que derivam do seu consumo de forma crónica, tendo efeitos lesivos sobre o tubo digestivo, fígado e os rins.


O Harpagósido, o principio ativo anti-inflamatório e analgésico da Harpagofito, é o principal componente com uma bioatividade que o torna potencialmente terapêutico.


Tem sido demonstrada a redução da expressão da IL-6 pelo efeito modelador sobre a IL-1beta. Ao reduzir-se os níveis de IL-6 também se reduziu a expressão de MMP-13 (uma metaloprotease implicada na degradação do colagénio), indicando um efeito anti-inflamatório ao bloquear tanto as citocinas como enzimas degradadoras da matriz da cartilagem, pela ação do harpagósido.



Atividade Antimutagénica do harpagósido


Em resultados de estudos in vitro com células linfocíticas humanas, demonstrou-se uma redução significativa da mutagenicidade de 1-NPy. Este estudo demonstra a proteção contra o dano cromossómico induzido por 1-NPy, apontando a possível relação entre os mecanismos anti-inflamatórios do harpagósido e antimutangénicos.



Função do Controlo de Peso da Harpagofito


O efeito potencial na modulação dos recetores de grelina (hormona da fome) e poder supressor do apetite com o extrato da raiz de Harpagofito.


Num estudo in vitro no qual se avaliou a internalização do recetor (GHS-R1a) em células renais embrionárias humanas através da mobilização de cálcio. A toma de alimentos avaliou-se com a injeção intraperitoneal do extrato da raiz em camundongos em condições experimentais, valorizando diferentes parâmetros. Não se obteve a internalização dos recetores GHS-R1a que indicaria a ativação completa, mas observou-se efeito anorexígeno estatisticamente significativo nos camundongos.


As conclusões do estudo têm Harpagofito como potencial promissor das substancias bioativas naturais.


A Harpagofito poderia converter-se no futuro e através de mais estudos, num alimento funcional, dirigido ao controlo de peso e tratamento da obesidade.



Efeito Anti-inflamatório


O efeito anti-inflamatório da Harpagofito também se demonstrou ao produzir um efeito inibidor direto sobre a COX-2, uma cicloxigenase induzível. É possível que a relação entre as vias HO-1 e COX interatuem na expressão vascular da COX e a produção de prostanoides vasoativos e assim, sobre a dor.


Harpagofito como Antioxidante


No caso das espécies reativas do oxigénio, não é o harpagósido a molécula chave, mas sim os compostos fenólicos e flavonoides.


São estes os compostos que proferem as propriedades antioxidantes da Harpagofito, através do aumento da atividade de superóxido dismutase, catalase e glutationa peroxidase no cérebro, além de reduzir a peroxidação lipídica.


São múltiplas as propriedades que a Harpagofito nos oferece.


Muitas delas têm demonstrado a sua eficácia e outras ainda se encontram em fase de investigação, mas o que observamos ao estudar diferentes fito-substancias é que a natureza oferece a solução aos nossos problemas onde em muitas ocasiões surgem dela.


Da mesmo forma que se chega a empregar de forma crónica os fármacos convencionais, também podemos utilizar os recursos que nos oferece a Mãe-Terra para tratar as nossas condições e doenças.


Por fim, é importante salientar a necessidade da consulta a um profissional de saúde na altura de adotar qualquer medida ou estratégia que suponham uma adição de produtos pouco comuns.

Como e durante quanto tempo devo tomar Harpagofito?


Existem diferentes formas farmacêuticas ou apresentações do Harpagofito:

A raiz utiliza-se para fazer infusões apenas com esta raiz ou em combinação com outras plantas analgésicas para potenciar os seus efeitos.

Pode ser administrada em forma de tintura

O extrato da Harpagofito também é uma boa opção. Sobre tudo para as pessoas que não podem tomar álcool.


Comprimidos ou cápsulas são outra forma cómoda e eficaz de se tomar Harpagofito.


Os preparados à base de plantas geralmente produzem os seus efeitos logo nas primeiras semanas! Devemos ter em conta que nos quadros de dor cronica as pessoas que consomem Harpagofito, devem saber que os efeitos acontecem entre as 6 a 12 semanas após o inicio do seu consumo. Além disso, recomenda-se o seu consumo com períodos de descanso. Não se devem administrar de forma crónica, administrando apenas quando é indicado.



Contraindicações da Harpagofito


Apesar de ser um produto excelente para as dores articulares e inclusive em patologias digestivas, é importante ter um especial cuidado no caso de padecer de:

  • Ulceras no tubo digestivo, tanto no estômago como no intestino delgado.

  • Diabetes, deve tomar-se com precaução, sobre tudo se o paciente é propenso a hipoglicemias, ao ser hipoglicémico.

Ao não conhecer-se o efeito sobre a gravidez e lactância, o melhor é não empregar-se durante estes períodos.


A Harpagofito pode produzir diarreia ou dor abdominal em pessoas sensíveis a qualquer dos seus componentes.




Fundação René Quinton

Quinton
Porque Funciona a Terapia Marinha?

Tópicos do Blog

Segue-nos!

  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram

Junte-se ao nosso canal no Telegram!

telegram delterre icon.png

Deseja conhecer mais sobre a Terapia Marinha de René Quinton?

Ebook_Propriedades_e_Benefícios_da_Terap

Faça o Download Grátis do ebook 'Propriedades e Benefícios da Terapia Marinha'!

Deseja receber amostras grátis de Plasma de Quinton?

*Envie-nos uma mensagem!

*reservado a profissionais de saúde

É Profissional de Saúde?

 

*

Gostaria de participar de formações profissionais da aplicação da Terapia Marinha em prática clínica?

 

*

Inscreva-se e será contactado assim que as formações iniciarem!