Harpagofito – o que é e para que serve?

Atualizado: 10 de Dez de 2020

A Harpagophytum procumbens, ou unha do diabo é uma planta pertencente à família das Pedaliaceae.

É nativa do continente africano e pode ser encontrada no deserto do Kalahari da Namibia, África do Sul, Botswana, Angola, Zambia e Zimbabwe.


Esta planta rasteira, que pode alcançar os dois metros de raio e cujas raízes podem alcançar 1,5m de profundidade, têm umas raízes secundárias ou tubérculos secundários, onde se encontra a maior concentração dos seus princípios ativos que a caracterizam como Planta Medicinal.

As folhas são de grande tamanho com de 3 a 5 lóbulos, cobertas por uma capa de células mucilaginosas brancas, que lhes confere uma cor ver acinzentada.

As flores têm uma forma de trompete de cor rosa, roxas ou purpuras e no centro encontramos tons amarelados.

O seu fruto lenhoso contêm numerosas espinhas que crescem de forma radiada. Esta característica é a origem do nome da planta.



Quais são os constituintes da Harpagofito?

A Harpagofito é composta por uma serie de elementos constituintes:

  • Glucósidos iridoides (harpagósido, harpágida e procumbida)

  • Açúcares (estaquiosa e tetrassacarídeos principalmente)

  • Triterpenoides (A. oleanólico e ursólico), fitoesterois (beta-sitosterol)

  • Ácidos aromáticos (A. Cafeico, cinámico e clorogénico)

  • Flavonoides (luteolina e kaempferol)

Os glucossídeos iridoides são os elementos mais importantes quanto às suas propriedades terapêuticas.

As principais propriedades da Harpagofito

Entre as principais propriedades da Harpagofito destaca-se os seus efeitos anti-inflamatórios e analgésicos, tanto pelo número de estudos que demonstram a sua eficácia como pelos efeitos referidos por quem a consome.

Recomenda-se o consumo de pelo menos 60mg de Harpagosido, já que os seus efeitos estão dependentes da dose. Recomendar doses que contenham essas concentrações torna-se mais eficaz do que recomendar doses mais baixas.

Resultados clínicos com Harpagofito

Vários estudos realizados sobre diferentes marcas e extratos de Harpagofito, cujo componente principal é o harpagósido, demonstraram os seus efeitos benéficos sobre a Osteoartrite.


Destacando:

  • Diminuição significativa da dor

  • Redução da limitação do movimento, tanto em patologia do joelho, quadril ou região lombar



Demonstrou-se que a unha do diabo é capaz de inibir a CYP450, pelo que se deve ter uma especial precaução.

Sobre tudo aquelas pessoas que empregam medicação que utilize CYP450 para a sua metabolização, sendo muitos os fármacos que empregam esta rota de metabolização (anti-depressivos, cumarina, estatinas, anti-diabéticos, etc).

O Harpagofito é um redutor de açúcar no sangue, daí que os seus efeitos anti-diabéticos devem ser tidos em conta em pacientes diabéticos que estejam a ser medicados para o seu controlo.


Tem efeitos sobre a tensão arterial e frequência cardíaca, produzindo reduções de ambas, podendo proteger contra arritmias.

Por isso, sempre através de um especialista, poderá ser incluído concomitantemente com outros fármacos anti-rítmicos.

O mesmo acontece com a tensão arterial. A Harpagofito pode ter um efeito aditivo, por isso deverá ajustar-se a dose da unha do diabo sempre sobre a supervisão dum especialista.

Estudos demonstraram o efeito antiagregante e deve ser tida alguma precaução ao prescreve-lo a pacientes medicados com antiagregantes.





Tradução autorizada do artigo original da Fundação René Quinton

Quinton
Porque Funciona a Terapia Marinha?

Tópicos do Blog

Segue-nos!

  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram

Junte-se ao nosso canal no Telegram!

telegram delterre icon.png

Deseja conhecer mais sobre a Terapia Marinha de René Quinton?

Ebook_Propriedades_e_Benefícios_da_Terap

Faça o Download Grátis do ebook 'Propriedades e Benefícios da Terapia Marinha'!

Deseja receber amostras grátis de Plasma de Quinton?

*Envie-nos uma mensagem!

*reservado a profissionais de saúde

É Profissional de Saúde?

 

*

Gostaria de participar de formações profissionais da aplicação da Terapia Marinha em prática clínica?

 

*

Inscreva-se e será contactado assim que as formações iniciarem!