Labels

A Agricultura Biológica é um modo de produção que visa produzir alimentos e fibras têxteis de elevada qualidade, saudáveis, ao mesmo tempo que promove práticas sustentáveis e de impacto positivo no ecossistema agrícola. Assim, através do uso adequado de métodos preventivos e culturais, tais como as rotações, os adubos verdes, a compostagem, as consociações e a instalação de sebes vivas, entre outros, fomenta a melhoria da fertilidade do solo e a biodiversidade.

 

 

Na Agricultura Biológica, não se recorre à aplicação de pesticidas nem adubos químicos de síntese, nem ao uso de organismos geneticamente modificados. Desta forma, garante-se o direito à escolha do consumidor e é salvaguardada a saúde do consumidor, ao evitar resíduos químicos nos alimentos. É, além disso, salvaguardada a saúde dos produtores, que evitam o contacto com químicos nocivos e preserva-se o ambiente da contaminação de poluentes, cuja actual carga sobre os solos e as águas é, em grande parte, da responsabilidade de sistemas intensivos de agropecuária.

 

 

A produção animal biológica pauta-se por normas de ética e respeito pelo bem-estar animal, praticando uma alimentação adequada à sua fisiologia e facultando condições ambientais que permitam aos animais expressar os seus comportamentos naturais e não recorre ao uso de hormonas nem antibióticos como promotores de crescimento.

 

 
 

A Agricultura Biológica é também conhecida como “agricultura orgânica” (Brasil e países de língua inglesa), “agricultura ecológica” (Espanha, Dinamarca) ou “agricultura natural” (Japão).

 

 

Na Europa, a Agricultura Biológica é alvo de legislação específica, o Reg. (CE) n.º 834/2007 do Conselho de 28 de junho, relativo à produção biológica e à rotulagem dos produtos biológicos, estabelecendo normas detalhadas cujo cumprimento é controlado e certificado por organismos acreditados para o efeito. Os produtos de Agricultura Biológica são reconhecidos pelo logótipo europeu de Agricultura Biológica.

 

 GMO significa Genetically Modified Organisms, em tradução livre “organismos geneticamente modificados”. 

 São, maioritariamente, produtos de origem vegetal que tiveram o seu DNA modificado para resistir a pesticidas, infestações, e tudo que interfira negativamente na produção. Se um produto tem o selo “No-GMO Verified” quer dizer que ele não tem ingredientes modificados geneticamente.

Ao comprar um produto NO-GMO é a garantia de que o produto é totalmente livre de transgénicos. Soja, milho e algodão são as plantas geneticamente modificadas mais comuns do mercado.

Um dos requisitos para a obtenção do selo de Produto Orgânico, é não usar produtos de origem transgénica.

Vegetarianismo é um regime alimentar baseado no consumo de alimentos de origem vegetal. Define-se como a prática de não comer qualquer tipo de animal, com ou sem uso de lacticínios e ovos. Um produto que esteja marcado com o selo 100% Vegetariano, assegura que à partida o produto não terá na sua composição qualquer elemento de origem animal. Se tiver alguma duvida relativamente ao emprego deste selo em algum dos nossos produtos, por favor, não hesite em contactar a nossa equipa.

 

Produtos Cruelty-free, onde os laboratórios ou fabricantes se recusam a fazer testes em animais.

Designa-se por Testes em Animais todo e qualquer experimento com animais cuja  finalidade é a obtenção de um resultado seja de comportamento, medicamento, cosmético ou acção de substâncias químicas em geral. Geralmente os testes são realizados sem anestésicos, podendo ou não envolver o acto da vivissecção.

 

Os laboratórios nossos parceiros são contra os testes em animais.

 

Quer receber novidades sobre promoções e produtos?

ab.png
EU_organic_farming_logo.svg.png
NoAnimalTesting.png
ogm-free.png
Vegetariano

Sim quero receber informações sobre os produtos Delterre

Li e Aceitei os termos e condições

  • Delterre Facebook
  • Delterre Instagram
  • Delterre twitter
  • Delterre Linkedin
  • Delterre Pinterest

©2017 por delterre.

gtag('config', 'AW-793053932');